Governo Discrimina Estudantes Universitários Nacionais

O Governo de Timor-Leste (TL) discrimina os universitários timorenses que estudam no país, disse o Deputado da Bancada do CNRT Gabriel Soares. (Foto: STL)

DÍLI, STLNEWS.co – O Governo de Timor-Leste (TL) discrimina os universitários timorenses que estudam no país, disse o Deputado da Bancada do CNRT Gabriel Soares.

O parlamentar recordou que a pandemia de Covid-19 causou dificuldades económicas em todo o mundo e, por isso, o Governo de TL atribuiu subsídios aos agregados familiares e aos timorenses que estudam no estrangeiro. No entanto, a seu ver, discriminou os estudantes nacionais.

“Votei contra o OGE de 2020, porque o Governo se esqueceu dos universitários nacionais, o que é uma discriminação”, afirmou o deputado no Parlamento Nacional, na semana passada, após o voto contra o Orçamento Geral de Estado (OGE) de 2020.

Questionado, o Ministro do Ensino Superior, Ciência e Cultura, Longuinhos dos Santos, respondeu: “A Aliança de Universitários de Timor-Leste [AUTL] pediu os subsídios, mas, com base no decreto-lei n.º 21/2020. Eu penso que não é razoável, porque este decreto-lei prevê que o Ministério dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação (MNEC) atribua os subsídios temporários aos estudantes timorenses no estrangeiro”.

O ministro explicou também que o Executivo atribuiu indiretamente este apoio monetário aos estudantes universitários nacionais através dos 200 dólares para as famílias, os 15 dólares de carregamento de eletricidade e do subsídio de 60% dos salários dos trabalhadores.

De acordo com Longuinhos, os subsídios atribuídos aos estudantes no estrangeiro não se destina ao pagamento de propinas, mas ao facto de não poderem regressar a Timor-Leste por causa da pandemia de Covid-19.*

Reportajen: Domingas Soares
Editor: Ekipa STL

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here