Alfredo Santos pede que não se politize Cesta Básica

O Decano da Faculdade de Economia da Universidade de Díli (UNDIL), Alfredo dos Santos, pediu aos governantes que “não politizassem o programa Cesta Básica, introduzindo o interesse de um grupo” no seio da população. (Foto: STL/Santina Castro)

DÍLI, STLNEWS.co – O Decano da Faculdade de Economia da Universidade de Díli (UNDIL), Alfredo dos Santos, pediu aos governantes que “não politizassem o programa Cesta Básica, introduzindo o interesse de um grupo” no seio da população.

Segundo o economista, o programa constitui uma medida que pode fazer circular o dinheiro na comunidade timorense, através da compra dos produtos locais que estão agora a ser atribuídos a todos os indivíduos.

“O Executivo aloca 50 dólares para comprar os bens de primeira necessidade para serem atribuídos a todas as pessoas. O mais importante é o Governo estar a esforçar-se para apoiar a população com os artigos alimentícios, o que, para mim, é, economicamente, positivo. No entanto, não pode ser politizado”, apelou o decano ao STL, na segunda-feira (11/11), no Campus da UNDIL.

O economista defendeu ainda que Cesta Básica é oportuna, pois ajuda os carenciados e incentiva os agricultores a continuarem a cultivar, aumentando, assim, os seus rendimentos. Considera, porém, que o programa “não traz um grande impacto para o crescimento económico do país, pois é realizado só a curto prazo”.

“Este programa é uma forma positiva, porque compram bens alimentícios do povo e estes voltam ao povo. Para mim, é necessário que o Governo mantenha este programa”, pediu.

O decano mostrou-se, por fim, esperançado de que o orçamento alocado ao programa possa ir ao encontro das necessidades atuais do povo.*

Reportagem: Santina Castro

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here